Manifestação a favor de cota mínima para Lago de furnas

Os Vereadores da Câmara Municipal de Cristais, participaram da manifestação em defesa da manutenção da cota mínima (762) para o Lago de Furnas, que aconteceu na manhã do último dia sete (7), na barragem da represa de Furnas, localizado na cidade de São Jose da Barra.

Além dos representantes do Poder Legislativo, Cristais participou do evento com a presença do Prefeito Professor Djalma Carvalho, secretários e funcionários públicos, professores e alunos das escolas municipais. Cerca de outras 20 cidades que são banhadas pela represa de Furnas, também enviaram seus representantes, além do Deputado Federal Emidinho Madeira, dos Deputados Estaduais Professor Cleiton de Oliveira e Cassio Soares, e o Jornalista Paulo Coelho.

A abertura do encontro foi feita pelo secretário da Associação dos Municípios do Lago de Furnas, Fausto Costa, seguido pelo Presidente da ALAGO e prefeito da cidade de Boa Esperança, Hideraldo Henrique Silva.

Durante sua fala, o Prefeito de Cristais, Professor Djalma Carvalho, mostrou sua indignação com as últimas administrações estaduais, que segundo ele se mostram indiferentes aos interesses mineiros. “Nós somos detentores de uma maravilha, de algo que a maior parte das cidades brasileira não tem. Nós temos um mar, cercado por lindas montanhas, onde as atividades que conferem água em uso múltiplo como a hotelaria, a gastronomia, a irrigação, a psicultura, o turismo de uma maneira em geral, os esportes náuticos foram todos de nós surrupiados. É necessário que as nossas populações, que as nossas Câmaras de Vereadores, se conscientizem do esbulho que nós estamos sofrendo. O “MAR DE MINAS” é para muito de nossas cidades, um brejo ou um pântano. A nossa luta, ela não só conta com a indiferença dos governos estaduais e eu quero muito louvar e agradecer a presença dos Deputados que estão aqui se encontram, porque a maioria dos Deputados que tiveram votos nas nossas trinta e quatro (34) cidades, não estão aqui. Como se o assunto não fosse importante.”; completou Djalma Carvalho. O pedido é para estabelecer uma cota mínima no lago de furnas de 762 metros acima do nível do mar.